Assinatura RSS

Arquivo do mês: abril 2012

Da série “Vai uma UPP aí???”

Publicado em
Da série “Vai uma UPP aí???”

Anúncios

Ogum´s Toques sob o olhar de Arli Pacheco

Publicado em

Da série “Vai uma UPP aí???”

Publicado em
Da série “Vai uma UPP aí???”

Umas Palavras entrevista Paulina Chiziane

Publicado em

Fui aprendendo a ler, mas numa autura colonial, portanto quando eu começo a ler era o tempo colonial,  havia muita leitura a volta. Uma das coisas que me dá prazer de dizer hoje é que eu e as minhas amigas roubamos bastante livros nas tabacarias, nas ruas e tínhamos muitos livros disponíveis na bibliotecas públicas…”

http://globotv.globo.com/canal-futura/umas-palavras/v/umas-palavras-ep-111-paulina-chiziane/1352273/

Da série: “A MAIOR, MELHOR e MAIS ANTIGA profissão do mundo…”

Publicado em
Da série: “A MAIOR, MELHOR e MAIS ANTIGA profissão do mundo…”

Da série: Vai uma UPP aí?

Publicado em
Da série: Vai uma UPP aí?

Era um baita orador. Na tribuna, imbatível. Bastava a palavrinha ‘mensalão’ e o atacava a gagueira. Nano-conto

Mel Adún, sua escrita reflete os enredos do dendê, do abebé e das mulheres Negras.

Publicado em
Mel Adún, sua escrita reflete os enredos do dendê, do abebé e das mulheres Negras.

Quantas Tantas
-Por Mel Adún-

Quantos euteamos você já disse por aí?
Quantas mulheres sorriram
ao ver seus olhos brilharem de amor por elas?
Quantas foram elas?
Quantas choraram baixinho
com a chegada do novo amor
e deixaram de fazer pedidos a seu favor?
Quantas invadiram seus sonhos?

Quantas tantas…
Quantas putas?
Quantas santas?
Quantas tontas?
Quantas?

Mais de mil beijaram a sua boca?
Mais de cem se fizeram de louca?
Mais de dez juraram amor eterno
e construíram castelos
e com você foram morar?
Com quantas tantas você sonhou um lar?
Quantas mulheres carregaram o seu filho?
Quantas mulheres gozaram com a sua língua
entre as suas pernas
numa noite qualquer?

Quantos beijos formam uma paixão?
Quantos não?

Quantas tantas foram nada
ou algo muito pequeno
tão sereno que não virou poesia?

Quantas delas foram sina?
Quantas mulheres foram pecados
ou pecaram ao te amar,
assim, de graça, com graça
ou não?
Quantas?

Com quantas você pretende envelhecer,
trocar carinho até morrer,
sentado numa cadeira de balanço?

Quantas mulheres te tiraram do sério?
Quantas inspiraram livros
ou fizeram feitiço?
Ou mesmo o jogo do contente?
Quantas delas eram sementes
que poderiam germinar e florescer?
Quantas mulheres te mataram e
quantas tantas lhe fizeram morrer?
Quantas?
Tantas?

Bibliografia da autora

  • Antologias

Cadernos Negros 29. Organização de Esmeralda Ribeiro e Márcio Barbosa. São
Paulo: Quilombhoje, 2006.
Cadernos Negros 30. Organização de Esmeralda Ribeiro e Márcio Barbosa. São
Paulo: Quilombhoje, 2007.
Cadernos Negros três décadas. Organização de Esmeralda Ribeiro e Márcio
Barbosa. São Paulo: Quilombhoje; Brasília: SEPPIR, 2008.

Contos afros. Organização de Márcio Barbosa. São Paulo: Quilombhoje, 2009.

Cadernos Negros 33. Organização de Esmeralda Ribeiro e Márcio Barbosa. São
Paulo: Quilombhoje, 2010.

Cadernos Negros 34. Organização de Esmeralda Ribeiro e Márcio Barbosa. São
Paulo: Quilombhoje, 2011.